Documento sem título

 
 
 
 
Você está em: Categoria / Artigos / REFERÊNCIA BÍBLICA DO ÓLEO DO ARCANJO RAFAEL




 
 
31/05/2013
REFERÊNCIA BÍBLICA DO ÓLEO DO ARCANJO RAFAEL
 

REFERÊNCIA  BÍBLICA DO ÓLEO DO ARCANJO RAFAEL

         A referência BÍBLICA sobre o ARCANJO RAFAEL é encontrada no LIVRO DE TOBIAS, que data de, aproximadamente, 200 anos antes de Cristo.  O nome RAFAEL significa  “DEUS CURA”  ou  “MEDICINA DE DEUS”,  motivo pelo qual é conhecido como “ANJO CURADOR”  e é Padroeiro dos Médicos  e  da  Medicina.

          O Arcanjo Rafael, que como figura humana, se apresenta na Bíblia como sendo AZARIAS, caracteriza-se como um ser : amável, simples, atencioso, perfeitamente educado, modelo de conselheiro que dá o conselho certo na hora certa,  intervém quando necessário, desaparece quando sua presença é indiscreta,  cumpre até o fim com tato e solicitude a missão  que Lhe é confiada.

          Nas imagens traz consigo um  CAJADO,  um  PORONGO  e um PEIXE,  elementos, estes, que estão relacionados à Sua missão especial como Anjo Curador junto a Tobit  e  Tobias , na Terra, onde:

   o CAJADO = significa a disposição para viajar na missão de curar doentes onde estiver,

   o PORONGO = recipiente de cabaça que servia para guardar e transportar o remédio (óleo),

  o PEIXE = animal do qual foram tirados os elementos (coração / fígado / fel) para fazer os remédios (dentre eles o Óleo).  Em resumo, sua história, na Bíblia, se passa assim :

          A Tribo de NEFTALI  (situada na Galiléia superior)  é levada em cativeiro para a cidade de Nínive, por Salmanasar  -  rei dos Assírios, como castigo por ter-se desviado dos cominhos de Deus.  Somente Tobit permaneceu fiel a todos os preceitos Divinos, e Deus o agraciou, no cativeiro, com a amizade e a consideração do Rei dos Assírios,  ficando livre para se movimentar para qualquer lugar bem como desfrutava de tal confiança que fazia compras para o próprio rei quando ia a Ragés  (atual Reis, perto de Teerã) na Média (atual Irã).

          Numa de suas viagens para a Média, deixou em depósito, com seu parente Gabael, a quantia de 10 talentos de prata.

          O rei amigo morre e seu filho  Senaquerib  assume o trono.

Ele não gosta dos hebreus e é hostil aos cativos.    Tobit  não pode mais viajar,  mas continua a ser fiel aos preceitos Divinos.    Nesta observância preocupa-se em enterrar os israelitas mortos, às escondidas do rei.    O rei fica sabendo deste fato e, como punição, confisca todos os seus bens e manda matá-lo.    Tobit  é obrigado a fugir com sua esposa ANA  e  seu  filho único  TOBIAS  para escapar à perseguição do rei.

O rei maldoso é punido por Deus e acaba por ser assassinado pelos próprios

filhos.     Assume o trono o filho Asar-Hadon,  que  - com o dedo de Deus  -  mantém seu primo Ahicar  (que é amigo de Tobit desde o rei Salmanasar) no cargo de chefe da administração e das finanças. Este intercede por Tobit  e  lhe é concedido retornar a Nínive  e receber todos os seus bens de volta.

          Chegada a  Festa das Semanas  ou  Pentecostes  -  celebrada pelos israelitas  -  Tobit  prepara a Ceia conforme o ritual e, vendo sua mesa farta,  manda Tobias à rua procurar algum israelita pobre para dela participar.    Tobias volta dizendo ao pai que encontrou o cadáver de um israelita na praça.    Tobit  recolhe o cadáver e aguarda o pôr do sol para enterrá-lo.    Após o sepultamento, cansado e com calor,  deita-se a céu aberto no pátio da casa e o excremento, quente, de um pássaro cai-lhe nos olhos.    Não obstante todos os tratamentos, Tobit acaba ficando cego.

          Por ser perseverante aos preceitos Divinos  -  inclusive o de enterrar os mortos  -  Tobit era duramente criticado pelos de sua raça e até pela sua esposa  -  Ana,  pois lhes pareciam que quanto mais fiéis a Deus  mais desgraças aconteciam  -  (Deus põe seus filhos à prova).    Tobit fica muito aborrecido com estes constantes ataques e pede que Deus o leve deste mundo.    Na certeza de que seu pedido a Deus seria atendido,  pede para seu filho TOBIAS  incumbir-se da missão de resgatar os  10 talentos de prata deixados com Gabael  em Ragés,  na Média.    Porém seus pais têm medo de mandá-lo sozinho porque ele não sabia o caminho, era jovem inexperiente, não conhecia o devedor e o percurso era muito perigoso, cheio de salteadores.    Então, pedem-lhe para procurar alguém de sua raça em quem confiar para acompanhá-lo na viagem.    De sua procura, Tobias volta com um jovem que disse chamar-se  AZARIAS,  que o encantara pela inteligência,  sabedoria  e  conhecimento.    Após sabatiná-lo, como era de costume, para conhecerem quem era  -  disse ser filho de Ananias  o  Grande  -  foi aprovado por Tobit para ser o acompanhante de Tobias na missão de cobrança.    Tobias  e  Azarias  preparam-se para a viagem,  não obstante as lamentações da mãe por ser ele filho único.

          Na primeira noite de viagem acampam às margens do rio Tigre,  no qual Tobias foi se lavar e um grande peixe tenta abocanhá-lo,  assustado grita por socorro,  Azarias acalma-o e diz para ele pegar o peixe, que seria de muita utilidade.    Tobias obedece.    De posse do peixe,  segue as instruções de Azarias para tirar-lhe o coração,  o fígado  e  o fel,  e preparou o restante para servir de alimento na viagem.

Tobias  quer saber qual a serventia daquelas partes retiradas do peixe.    Azarias disse que serviria como  remédio  e qual seu poder medicinal : “ coração  e  o fígado  são  para  serem  queimados  na  presença  do  homem  ou  mulher  que  sofram  de  achaques (doenças sem gravidade / mal estar) do  demônio  ou  mau  espírito, o  fel  serve  para  se  fazer  um  ungüento  e  passar  nos  olhos  sobre  os  quais  há  escamas  brancas,  depois  sopra-as  e  os  olhos  ficarão  curados .”

          Chegando na região da Média,  Azarias disse que deveriam passar a noite na casa de  Raguel,  que era parente de Tobias,  e que,  além de ser muito rico, tinha uma filha, única, muito formosa, bem como lembrara-o de que seu pai havia pedido para encontrar uma esposa que fosse de sua raça.    Tobias é aconselhado, por Azarias, a tomar  SARA, filha de Raguel e Edna,  como esposa, obedecendo assim aos preceitos de Moisés : hebreu deve casar-se com hebreu para dar continuidade ao povo escolhido.    Tobias fica com medo  por saber da história de que Sara já tinha sido dada em casamento a sete maridos  e que todos morreram sufocados por  “artes de Asmodeu, o pior dos demônios”  quando das núpcias, antes do casal se conhecerem.    Azarias ensina-lhe como vencer este  “demônio” :

    a) = “queimar o fígado e o coração do peixe nas brasas do defumador, que seu aroma afugentará para sempre o demônio”

    b) = “antes de se unir à mulher, ambos devem orar e implorar misericórdia e salvação aos céus”

    c) = “Sara tinha-lhe sido destinada desde antes dos tempos, razão porque todos os outros maridos morreram”

          Superado o medo,  Tobias pede Sara em casamento a Raguel, que faz o interrogatório de praxe e descobre que suas famílias são parentes.    Alegre com a descoberta, Raguel prepara uma grande festa, mas fica com medo de conceder sua filha em casamento a seu parente e acontecer com ele o mesmo que acontecera com os outros maridos, o que seria um problemão e um escândalo.    Tenta despersuadir Tobias de se casar com Sara contando-lhe a história da “maldição” de sua filha.    Porém,  Tobias persiste no pedido e diz que só se assenta à mesa se obtiver o  “SIM”  para o casamento.    Assim,  Raguel é convencido e manda preparar a câmara de núpcias.    .         O  pai de Sara, certo de que aconteceria com Tobias o mesmo que com os maridos anteriores e, com medo de problemas quando clareasse o dia, prevenindo-se, levanta à noite e abre uma cova para o suposto futuro defunto.    Aberta a sepultura, retorna a casa e pede para a esposa mandar uma escrava verificar o que ocorrera com o casal.    Para espanto de todos a serva retorna informando que “ambos estavam muito bem, dormindo tranqüilamente...”

É que Tobias tinha seguido, à risca, as instruções de Azarias.    Então os pais de Sara põem-se prostrados por terra em agradecimento a Deus, pois a filha tinha conseguido formar uma família e se ficasse sem se desposar seria uma “desgraça” -  segundo a tradição hebraica.    E manda preparar uma grande festa de 14 dias para comemorar as núpcias.    Como dote deu a Tobias metade de seus bens e tenta convencê-lo a ficar por ali mesmo, mas Tobias recusa devido aos pais.

          Para poder ficar na festa, Tobias pede para Azarias ir a Ragés fazer a cobrança a Gabael, bem como trazê-lo à festa, pois é parente.

          Enquanto isso os pais de Tobias ficam aflitos com a demora do retorno da viagem, pois ele era filho único e já estavam em idade avançada.    Choram muito e Ana se lastima  pela decisão de Tobit  e o culpa pelo que pudesse acontecer, o que lhe aborrece ainda mais.

          Passados os 14 dias de festa,  TOBIAS  e  SARA, juntamente com Azarias e comitiva, retornam a Nínive.    Mas o caminhar da comitiva era lento.    Azarias propôs a Tobias seguirem à frente da comitiva a fim de chegarem mais rápido,  assim diminuiriam a aflição de seus pais e preparariam a chegada de Sara e comitiva.

          Tendo chegado à casa paterna, após as boas vindas, Tobias aplica o ungüento de fel nos olhos do pai, como lhe ensinara Azarias, e ele recobra a visão.    O acontecimento faz com  que, mais uma vez, Tobit e seus conhecidos prostrem-se por terra para louvar e agradecer a Deus com hinos.    Os pais de Tobias tomam conhecimento de tudo o que ocorrera na viagem e ficam repletos de felicidade.    Sara e comitiva chegam em meio a festiva recepção.

          Ante tanto sucesso,  Tobit  não sabe como agradecer ao jovem acompanhante  e  pede ao filho que acerte as contas com ele dando-lhe metade de tudo o que, agora, possuía.    Mas  Azarias, além de não aceitar nenhuma recompensa,  faz um longo e lindo  “discurso / oração” versando sobre o que é agradável e louvável aos olhos de Deus.    Espantados com tal atitude  e  magnânima sabedoria, percebem não se tratar de um simples mortal e, novamente, prostram-se por terra em louvores e agradecimentos, neste momento Azarias revela-se como  “ARCANJO  RAFAEL” – (que significa DEUS CURA  ou  MEDICINA de DEUS)  e diz “fui enviado por Deus em atenção às suas preces . . .”    Quando levantaram a cabeça o Arcanjo já tinha desaparecido !!!!

 
 
 

Artigo Visto: 1372 - Impresso: 172 - Enviado: 0

 

 
Visitas Únicas Hoje: 19 - Total Visitas Únicas: 33293 - Usuários online: 3
© Copyright 2013 - www.associacaorosamystica.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: Espacojames